sábado, 22 de setembro de 2012

Manifestações na cidade de Smara


Smara, sexta-feira, 21 de setembro
 Segundo informaram hoje, sábado, correspondentes da Rede de Maizirat a partir da cidade ocupada de Smara, as forças de repressão marroquinas arremeteram com brutalidade sexta-feira, dia 21, contra uma manifestação pacífica que percorreu as ruas da cidade e que tinha sido convocada por dezenas de cidadãos que protestavam, reivindicando e reclamando os seus legítimos direitos de emprego e de habitação. Os manifestantes entoaram palavras-de-ordem a favor da independência nacional e empunharam bandeiras da República Árabe Saharaui Democrática. Os manifestantes gritaram também consignas exigindo o respeito dos direitos humanos no Sahara Ocidental e reivindicaram o direito do povo saharaui à autodeterminação.
O aparato repressivo marroquino utilizou os seus agentes de polícia vestidos à paisana e as forças paramilitares, com o uso excessivo da força brutal, tendo utilizado pela primeira vez motos de perseguição, e empunhando bastões, matracas e insultos verbais, com invasão também de domicílios.
Hayeiba Banahi, grávida, sofreu ferimentos e está internada no hospital. Aba Chij Salama Said foi ferido nos ombros.
Várias casas e estabelecimentos comerciais, propriedade de saharauis foram invadidos pelos agentes da policía marroquina causando perdas avultadas. Entre as famílias saharauis atingidas estão: Ahel Banahi, Ahel Ameirah, Ahel Salek Abdeluadud, Ahel Mohamed Salem Chiji, Ahel Bariku, Ahel Fater, Ahel Andala Daha e Ahel Mohamed Uld Ehmednahi.
Durante a manifestação os serviços policiais marroquinos detiveram o cidadão saharaui Yeslem Uld Lemahad, levaram-no para fora da Cidade, torturaram-no e abandonaram-no numa vala nas cercanias de Wein Seluan.

*Fonte: Rede de Informação Maizirat

Sem comentários:

Publicar um comentário