sábado, 25 de agosto de 2012

Primeira reunião da delegação internacional da Fundação RFK com os Defensores Saharauis de Direitos Humanos no Sahara Ocidental



Uma representação de Defensores saharauis de Direitos Humanos composta pela presidente do CODESA, a ativista Aminetu Haidar, e o presidente e vice-presidente do CODAPSO (Comité Saharaui para a Defesa da livre determinação do povo do Sahara), Mohamed Daddach e do seu vice-adjunto Hmad Hammad, reuniu-se hoje sábado com a delegação da Fundação Robert Kennedy, presidida pela Sra. Kerry Kennedy, e outras organizações de defesa dos direitos humanos dos  Estados Unidos da América e da Europa que a acompanham, como Mary Lawlor, directora da Front Line Defenders, Margarette May Macaulay, juíza do Tribunal Interamericano de Direitos Humanos, Eric Sottas, ex-secretário-geral da Organização Mundial Contra a Tortura, María Pinar del Río, presidente da Fundação José Saramago, e Marialina Marcucci, presidente do Centro RFK na Europa, entre outros.

O encontro, segundo fontes dos defensores dos DDHH saharauis, foi extremamente importante e centrou-se, à luz da atualidade, nos acontecimentos relacionados com as graves violações dos direitos humanos de que sofre a população saharaui no território, em resultado da sua firmeza e defesa do seu inalienável direito à livre determinação e recuperação da sua soberania.

A presidente da delegação da Fundação Robert F. Kennedy de Direitos Humanos dos EUA, também se reuniu esta tarde em casa da presidente saharaui da CODESA, Aminetu Haidar, com os representantes do CSPRON (Comité de Apoio ao Plano de Resolução das Nações Unidas e a proteção dos recursos naturais do Sahara Ocidental). Esta organização esteve representada pela ativista dos DDHH saharaui, Sra. Salha Mint Butenguiza, o ativista Abdelhay Toubali, irmão do preso político saharaui Abdulah do grupo de Gdeim Izik e que se encontra detido na prisão de Salé, Marrocos.

Segundo fonte do domicílio de Aminatu Haidar, onde tiveram lugar estes encontros com a delegação internacional, a reunião com o CSPRON foi qualificada de “muito importante” e que o diálogo centrou-se sobre o Sahara Ocidental e o saque e espólio indiscriminado dos recursos naturais do Sahara Ocidental exercido pelo Estado marroquino, contra a população através de marginalização, desemprego e pobreza. O CSPRON solicitou à presidente da Fundação RFK e às organizações que a acompanham o seu envolvimento para proteger da ocupação marroquina os recursos naturais do Sahara Ocidental que estão a ser saqueados pela administração da ocupação marroquina no território saharaui.

As reuniões de trabalho tiveram lugar na casa da ativista saharaui dos direitos humanos Aminatu Haidar, após um almoço de boas-vindas que a presidente da CODESA organizou em homenagem a esta delegação internacional.

Sem comentários:

Publicar um comentário