quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Comunicado do grupo de presos políticos saharauis de Dakhla dirigido à opinião pública Internacional



Na sequência das sentenças cruéis e injustas de que fomos vítimas — condenações que chegaram até aos 3 anos de prisão efetiva —, os presos políticos saharauis condenados pelos trágicos acontecimentos na cidade ocupada de Dakhla reafirmam o seu apego ao direito à liberdade e dignidade de nosso povo e a expressar a nossa forte posição na questão do Sahara Ocidental ocupado por Marrocos.

Queremos dirigir-nos à opinião pública internacional e à opinião local afirmando:

A nossa profunda condenação e repulsa por estas sentenças injustas. Queremos apelar à opinião pública e à consciência dos homens livres em todo o mundo, a intervenção rápida e urgente para que se exerça pressão sobre o Estado marroquino exigindo a nossa libertação sem limitações nem condições.
Apelamos a todas as organizações internacionais de defesa dos direitos humanos, e em primeiro lugar à Missão das Nações para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO), assim como ao Relator Especial da ONU contra a Tortura, para que seja aberta uma investigação urgente sobre as circunstâncias e os motivos da nossa detenção e ao julgamento injusto a que fomos sujeitos, assim como a tortura psicológica e física que sofremos nas comissarias da polícia judiciária na cidade de Dakhla.
Trazer à justiça os responsáveis pela nossa prisão e agonia, para responsabilização dos seus crimes hediondos.
Declaramos a nossa adesão à Frente Popular para a Libertação do Saguia el-Hamra e Rio de Ouro, Frente POLISARIO, como o único e legítimo representante de todo o povo saharaui.
Exigimos de todos os organismos internacionais as condições que permitam ao povo saharaui exercer o seu legítimo direito à livre determinação e o respeito dos direitos humanos nos territórios ocupados do Sahara Ocidental.
O Estado Saharaui independente é a solução
Assinam: os presos políticos saharauis dos sangrentos acontecimentos de Dakhla, antiga Villa Cisneros, territórios ocupados.
Prisão Negra de El Aaiún, Sahara Ocidental
Quarta-feira, 26 de setembro de 2012.

Sem comentários:

Publicar um comentário