quinta-feira, 9 de agosto de 2018

No adeus a Ahmed Salek Kaid Salah. "Outro dia triste, outra perda irreparável"




Ahmed Salek Kaid Salah morreu no dia 7 de agosto de 2018 na sequência de uma grave doença que o amarrou à na cama nestes últimos meses.

Nasceu a 5 de agosto de 1948 na região de Smara, no Sahara Ocidental. Estudou no Instituto Geral Alonso de El Aaiún até terminar a Escola Secundária Superior e o Pré-universitário. Continuou os seus estudos universitários de Direito em La Laguna (Tenerife) com seus inseparáveis amigos Bujari Ahmed Bericala e Mohamed Salem Hach Embarek. Nos últimos anos do curso de direito, mudaram-se para a Universidade Pública de Madrid, onde terminaram a licenciatura em 1975.

Desde muito jovem se assumiu com patriota, militando no movimento de vanguarda que organizou as históricas manifestações pacíficas de Zemla em 17 de junho de 1970, em que participou ativamente na organização. Posteriormente, após a criação da Frente POLISARIO, ingressou na militância activa nos primeiros anos e no Movimento Estudantil, tendo participado no Primeiro Congresso de Estudantes Saharauis, sob o patrocínio da Frente Polisario, no Verão de 1974. Em Novembro 1975 participou na organização da incorporação dos Universitários Saharauis na Frente POLISARIO.

Após a proclamação do R.A.S.D., em fevereiro de 1976, assumiu o cargo de primeiro presidente do Crescente Vermelho saharaui. Após um período de treinamento militar na Argélia, participou em várias operações militares.

Após a frequência de um curso de formação de Relações Internacionais em Cuba, ingressa no corpo diplomático como embaixador em Madagáscar e depois na Jugoslávia. Quando se dá a desintegração da Jugoslávia é nomeado Diretor Nacional do Ministério dos Negócios Estrangeiros da RASD.

Posteriormente foi representante em várias províncias espanholas até que foi designado Diretor de Protocolo Nacional.

Após a formação do governo no penúltimo Congresso Geral, foi-lhe atribuído o cargo de embaixador itinerante no Ministério dos Negócios Estrangeiros. Esta foi a sua última tarefa.

No ano passado foi-lhe diagnosticada uma doença muito grave, que se mostrou imune aos tratamentos médicos. Faleceu na terça-feira, 7 de agosto, com 70 anos de idade.

Ahmed Salek (Salku, como era conhecido) foi um dos primeiros estudantes universitários saharauís e dedicou mais de 50 anos da sua vida à causa do seu povo com dedicação, sacrifício e humildade. Pai de cinco filhos, o seu desaparecimento constitui uma perda irreparável para a sua família e para o povo saharaui.




Fonte: EIC Poemario por un Sahara Libre / Por Dahman Kaid Salah





Sem comentários:

Publicar um comentário