domingo, 29 de julho de 2012

Governo saharaui "lamenta" repatriação dos cooperantes espanhóis


José Manuel García-Margallo, MNE de Espanha
responsável pela decisão

 O Governo saharaui expressou pesar pela repatriação dos cooperantes espanhóis de ajuda humanitária que se encontravam nos acampamentos de refugiados saharauis, decidida unilateralmente pelo Executivo espanhol, esta sexta-feira 27 de julho de 2012 e já pediu o seu regresso para continuarem a sua nobre missão de ajuda humanitária, de acordo com uma declaração escrita pelo ministro saharaui dos Negócios Estrangeiros.

A decisão unilateral foi conhecida esta sexta-feira por parte do executivo espanhol em que manifestou a sua disposição de repatriar os cooperantes espanhóis dos Acampamentos de Refugiados Saharauis, ante o que considerou possíveis ações de grupos terroristas do norte do Mali, segundo declarações do ministro espanhol dos Negócios Estrangeiros, José Manuel García Margallo, em conferência de imprensa em Madrid.


A declaração do MNE saharaui refere que ”o governo da República Saharaui lamenta esta decisão que, sem qualquer quer dúvida, terá efeitos negativos sobre a situação dos refugiados saharauis, que esperam a realização do referendo de autodeterminação, a solução democrática para o conflito saharaui-marroquino”.

“A parte saharaui condena o terrorismo, refere a declaração do MNE da RASD, recordando que se trata de um fenómeno mundial que se deve combater, mantendo a coordenação e a cooperação internacional”.

Nesse sentido, afirma a declaração, “desde o ato criminoso terrorista do passado 22 de outubro contra cooperantes europeus nos acampamentos de refugiados saharauis, por parte de um grupo terrorista procedente do norte do Mali, as autoridades saharauis tomaram, progressivamente, as medidas necessárias para a proteção dos hóspedes do povo saharaui”.

O Governo saharaui expressa o seu desejo de regresso, quanto antes, dos cooperantes espanhóis para prosseguirem a sua nobre missão de assistir e ajudar as dezenas de milhares de refugiados saharauis, vítimas da ocupação militar do seu território por parte do Reino de Marrocos, desde 31 de outubro de 1975, afirma a nota do MNE da RASD.

São doze os  cooperantes espanhóis repatriados  este sábado para a capital espanhola  Madrid, tendo também abandonado os acampamentos de refugiados saharauis  dois franceses e um italiano de regresso aos seus países de origem, informa o jornal El Mundo este sábado.

SPS

José Manuel García-Margallo.

Sem comentários:

Publicar um comentário