domingo, 12 de abril de 2015

Exclusivo – Relatório do SG da ONU : severo requisitório de Ban Ki-moon contra Marrocos




Fonte:  Algerie Patriotique
11.04.2015

O regime de Rabat vê o Secretário-Geral das Nações Unidas puxar-lhe as “orelhas” no  relatório que será divulgado no início desta semana. Neste documento, a que “Algerie Patriotique” teve acesso, Ban Ki-moon repreende Marrocos, sobretudo pela realização do Fórum Crans-Montana em Dakhla, no momento em que o estatuto final do Sahara Ocidental continua a ser objeto de um processo de negociações sob os auspícios do Secretário-Geral das Nações Unidas, em conformidade com as resoluções da ONU que pedem uma solução política que prevê o direito à autodeterminação do povo saharaui.

O relatório também culpa o Makhzen de uso desproporcionado da força para reprimir a população saharaui. Ban Ki-moon critica Mohamed VI e o seu governo pela falta de cooperação e de boa-fé em relação à conformidade com os mecanismos das Nações Unidas para a proteção dos direitos humanos. Essa crítica estende-se também severamente à exploração ilegal de recursos naturais nos territórios ocupados do Sahara Ocidental.

Além disso, o Secretário-Geral das Nações Unidas insta Rabat a cumprir o disposto no artigo 73 da Carta da ONU, que estabelece o princípio do primado dos interesses dos habitantes dos territórios não-autónomos.

Em relação ainda ao Sahara Ocidental, Ban Ki-moon lembra que, em Junho de 2014, o enviado especial da União Africana para o Sahara Ocidental, o ex-Presidente Joaquim Chissano, encontrou-se com o seu adjunto, seu enviado pessoal e outros funcionários da ONU em Nova Iorque "para expressar a preocupação da União Africana sobre a falta de progresso nas negociações em curso" entre Marrocos e a Frente Polisario, e faz referência à carta que lhe foi endereçada a 30 de março pela Presidente da Comissão da União Africana, que lhe solicita que a mesma seja transmitida aos membros do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral. Na carta, que Algeriepatriotique publicou trechos, Nkosazana Dlamini-Zuma refere que o suplício dos saharauis já durou demasiado tempo e que é hora de implementar o processo para o exercício do direito à autodeterminação desse povo oprimido.

Em Washington, nesta quarta-feira, os Estados Unidos apoiaram claramente o direito à autodeterminação do povo do Sahara Ocidental, o que significa, portanto, que rejeitam a pseudo-solução de autonomia avançada por Marrocos para continuar a sua dominação do país, que é a última colónia de África. O Makhzen está em vias de perder a sua "guerra de desgaste" no Sahara Ocidental, o que augura uma resolução próxima para este conflito a favor dos Saharauis.

Completamente isolado internacionalmente, Rabat viu-se forçado a responder à convocação ordenada pela Arábia Saudita para intervir no Iémen. Mohamed VI espera que a participação do seu exército nesta guerra desejada por Riyadh constitua uma tábua salvação neste naufrágio diplomático.

Karim Bouali

Sem comentários:

Publicar um comentário