sábado, 8 de julho de 2017

Novo fracasso da diplomacia marroquina em Adis Abeba




A 29.ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governos africanos em Addis Abeba concluiu com uma nova e retumbante derrota para a diplomacia marroquina.
Apesar da forte presença, que integrava diplomatas e jornalistas e um amplo lobbying de assédio, a delegação marroquina voltou de mãos vazias a Rabat.

Não tendo conseguir dividir a União Africana em relação à questão do Sahara Ocidental confia agora a gestão exclusiva à ONU, onde Marrocos conta com o apoio incondicional da França para fazer avançar os seus peões.

O xeque-mate ao rei de Marrocos fê-lo certamente entender que não basta retornar à organização continental para ser capaz, em alguns meses, de virá-la a favor do seu projeto anexionista. E a este propósito, as resoluções da 19.º Cimeira são inequívocas.

Assim, a Conferência dos Chefes de Estado africanos “insta os presidentes da União Africana e da Comissão da União Africana, com base no Acordo-Quadro entre a União Africana e a ONU de 19 de Maio 2017 em Nova Iorque, a fornecer o apoio adequado à iniciativa do Secretário-Geral da ONU com vista a se chegar a um acordo na base de uma solução consensual e definitiva do conflito. "

A Conferência dos Chefes de Estado e de Governo sobre o relatório do Comité para a Paz e a Segurança, na resolução número 9, por sua parte decidiu "reiterar a sua determinação em encontrar uma solução global para o conflito do Sahara Ocidental e solicita aos dois Estados-Membros, o Reino de Marrocos e a República Árabe Saharaui Democrática a se empenharem em negociações diretas e sérias e a proverem a cooperação necessária aos órgãos políticos da UA para o Sahara Ocidental "

A Cimeira também saudou "o compromisso do Secretário-Geral das Nações Unidas para retomar o processo de negociação de boa-fé e sem condições prévias a fim de alcançar uma solução duradoura que deve prever o referendo do povo do Sahara Ocidental, de acordo com resoluções pertinentes das Nações Unidas e as decisões da OUA / UA".

Por último refira-se que "a resolução Africana sobre o Sahara Ocidental solicita ao Presidente da Comissão da UA, em concertação com o Conselho de Paz da UA, que tome as medidas adequadas, incluindo a eventual revitalização do Comité de Chefes de Estado em 1978 para apoiar os esforços da ONU e encorajar as partes, hoje presentes no seio da União Africana, a cooperar lealmente com vista ao sucesso do novo processo”.

Fonte: Algérie1




Sem comentários:

Publicar um comentário