sexta-feira, 17 de outubro de 2014

A fatura paga por Marrocos aos mercenários franceses da escrita …


Dominque Lagarde, Mireille Duteil e Vincent Hervouet

O Twitter “Le Makhzen”, do denominado e misterioso @chris_coleman24, continua a revelar-se uma caixa ininterrupta de escaldantes informações sobre o ‘modus operandi’ do Makhzen e dos serviços secretos de Marrocos.

Dominque Lagarde, jornalista desde 1973. Após muitos anos passados na imprensa diária, nomeadamente no «Le Quotidien de Paris », onde dirigiu a secção de Estrangeiro, Lagarde entra no « l’Express” em 1996, como redatora chefe adjunto da editoria ‘Monde’.  Desde 2005, está de volta ao terreno. Na sua errância, parece ter sido recrutada por Ahmed Charai, operacional da DGED (os serviços secretos marroquinos), editor do The Observer de Marrocos. Aí, Dominque Lagarde publica vários artigos entre março e outubro de 2008.  Para o “L’Express” cobre as Primaveras Árabes e, em 2011, com Akram Belkaïd e Benjamin Stora, escreve "A Argélia, a desilusão - 50 anos de independência".



Desta época, Chris Coleman revela-nos um email com data de 18/07/2008, no qual Ahmed Charai anunciava ao seu «patrão» da DGED que a jornalista «Dominique Lagarde do  l’Express aceitou vir a Marrocos terça-feira, 22 de julho».

A 02/10/2011, Charai, num outro email dirigido a Si Morad, anuncia que vai pagar 6000 euros a Dominique Lagarde pelos seus artigos de setembro e outubro.

Na mesma mensagem, Charai reclama um «belo presente para o Presidente do Financial Times”.

A mesma soma de 6000 euros é recebida por Mireille Duteil e Vincent Hervouet.


Eis um relatório onde Charai revela satisfação pelo seu trabalho:


Sem comentários:

Publicar um comentário