quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Operação militar saharaui em Guerguerat




Segundo a publicação El Confidencial Saharaui Frente Polisario “ameaçou esta terça-feira reatar as suas atividades militares contra Marrocos, país que ocupa ilegalmente o território da ex-colónia espanhola, se a ONU não cumprir a última resolução do Conselho de Segurança que obriga as forças marroquinas a abandonar a faixa de Guerguerat”.

O comunicado do presidente da República Saharaui dirigido à Minurso é muito claro – adianta a publicação - "a Polisario reatará as suas atividades militares em legítima defesa se Marrocos persistir com a sua presença em El Guerguerat e não cumprir com a resolução 2351 que a obriga a retirar da zona".

Ontem, 03 de janeiro de 2018, membros das unidades militares saharauis de reconhecimento detiveram um Rally que atravessa a fronteira mauritana-saharaui". El Frente Polisario, prossegue o texto, já deu a conhecer ao Secretário-Geral da ONU, que "se sente livre de todo o compromisso com a trégua em vigor". Os saharauis consideram a decisão dos organizadores do Rally como "um insulto à vontade dos saharauis e um apoio ao colonialismo marroquino. O Rally Emirados - Sahara não o atravessará a fronteira saharaui para a Mauritânia – afirma a Polisario.

O El Confidencial Saharaui lembra que a missão da ONU para o Referendo no Sahara Ocidental “retirou-se no passado dia 4 de junho de El Guerguerat sem aviso prévio e o exército marroquino apoderou-se do posto. A F.POLISARIO denunciou estes factos ante a ONU e também enviou tropas para a zona, alem de pôr em alerta máximo todas as unidades militares próximas do muro marroquino”.

A última resolução da ONU assegurou que a MINURSO manteria no posto, para evitar qualquer acontecimento que possa provocar uma guerra na zona. Além disso chamou as duas partes a negociar com boa-fé e seriedade.

Posteriormente as duas partes retiraram-se por ordem da ONU. Agora Marrocos aproveita a retirada das forças da MINURSO para voltar a provocar a mesma situação – constata a publicação.


Que adianta: Estes "mini-conflitos" não levam senão a desviar os esforços da ONU e da comunidade internacional em procurar uma solução para o conflito real do Sahara Ocidental. Uma estratégia que, claramente, beneficia apenas a Marrocos.

Fonte: El Confidencial Saharaui

Sem comentários:

Publicar um comentário