quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Jornalismo no Sáhara: expulso observador espanhol ao julgamento a Brahim Dihani



fotojornalista Brahim Dihani está acusado de difamação às forças policiais

Periodistas em español - O governo marroquino proibiu ontem 15 de janeiro de 2019, a entrada em El Aaiún do advogado de Saragoza Luis Mangrané, que tinha a intenção de assistir como um especialista internacional ao julgamento de Brahim Dihani (fotógrafo da Associação Saharaui de Vítimas de Violações dos Direitos Humanos) onde é acusado de cobertura de uma manifestação pacífica saharaui a favor do direito à autodeterminação, reprimida pelas forças de segurança marroquinas.
A Asociación Española para el Derecho Internacional de los Derechos Humanos (AEDIDH) considera que a rejeição na fronteira do advogado Luis Mangrané, quando pretendia cobrir o julgamento de um jornalista saharaui, é um acto arbitrário de Marrocos contrário à Declaração das Nações Unidas sobre os direitos dos defensores dos direitos humanos.

A AEDIDH sustenta que a demonstração pacífica em favor do direito do povo saharaui à autodeterminação é perfeitamente legítima ao abrigo do direito internacional e, em caso algum, o governo marroquino poderá considerar tais manifestações como atividades terroristas ou contrárias à ordem pública.

A AEDIDH insta, pois, o Governo espanhol a transmitir ao Governo de Marrocos a sua forte condenação por tal comportamento que, por sua vez, obedece a um padrão de comportamento que é constantemente repetido e que contradiz as obrigações de Marrocos em termos de direitos humanos

Sem comentários:

Publicar um comentário