segunda-feira, 22 de abril de 2019

Unidas Podemos, única candidatura que propõe reconhecer a RASD



Unidas Podemos é a única candidatura com implementação nacional às eleições gerais de 28 de abril que inclui no seu programa o estabelecimento de relações diplomáticas "de alto nível" com a República Árabe Saharaui Democrática (RASD), proposta que já constava no programa da Unidade Popular-Esquerda Unidos nas eleições de 20 de dezembro de 2015.

A formação liderada por Pablo Iglesias quer que os saharauis que vivem em Espanha tenham acesso à nacionalidade espanhola, além de apoiar o direito à autodeterminação do povo saharaui, ponto que coincide com o PSOE. O partido de Pedro Sánchez mantém a sua posição sobre o Sahara Ocidental de apoio a uma solução justa e mutuamente aceitável já defendida em eleições anteriores; no programa do 28-A não se pronuncia sobre o reconhecimento da RASD, mas fá-lo em relação ao Estado Palestino.

Duas organizações com implantação nacional deixaram de lado das suas propostas eleitorais o povo saharauí: o Partido Popular e o Ciudadanos.

O Sahara Ocidental, que esteve presente nas propostas eleitorais de Fraga, Aznar e Rajoy com o apoio expresso do PP ao direito à autodeterminação do povo saharaui, não aparece nas propostas para as próximas eleições de Pablo Casado, que, pelo contrário, quer intensificar a colaboração com o Marrocos. Fala de "responsabilidades históricas" e de "um compromisso inapelável com aquelas nações onde ainda anseiam pela liberdade que desfrutamos em democracias consolidadas", mas não se refere à ex-colónia que a Espanha abandonou há 43 anos, fala sobre a Ibero-América.

Ciudadanos, por outro lado, vai pela segunda vez a uma eleição geral sem mencionar o conflito vivido no território que Marrocos invadiu. O partido de Albert Rivera não mostrou uma preocupação especial pelo Sahara Ocidental, exceto pelo desempenho de alguns deputados, como Fernando Maura, que depois de estar no Congresso dos Deputados em duas legislaturas não está nas listas para o 28- A.

O Sahara Ocidental nos programas eleitorais de formações com implantação nacional:

PSOE - "Promoveremos a solução do conflito do Sahara Ocidental através do cumprimento das resoluções das Nações Unidas, que garantem o direito de autodeterminação do povo saharaui. Para isso, trabalharemos para chegar a uma solução para o conflito que seja justo, definitivo, mutuamente aceitável e respeitador do princípio da autodeterminação do povo saharaui, bem como para promover a supervisão dos direitos humanos na região, favorecendo o diálogo entre o Marrocos e o Frente Polisario, com a participação da Mauritânia e da Argélia, parceiros-chave da Espanha, que o enviado da ONU para o Sahara Ocidental está promovendo ".

UNIDAS PODEMOS - "Espanha, com a livre determinação do povo saharaui. A Espanha tem uma responsabilidade histórica com o Sahara Ocidental, com o seu povo e com a solidariedade entre os nossos povos. Para fazer isso, vamos apoiar com ações concretas o direito à autodeterminação do povo saharaui pela execução do acórdão do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) sobre os recursos naturais, as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas para a uma solução justa e pacífica através de um referendo e processos de negociação em curso. Estabeleceremois relações diplomáticas de alto nível com a República Árabe Saharaui Democrática (RASD) e promoveremos a extensão do mandato da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental (MINURSO) à aquisição de competências na proteção e promoção dos direitos civis , aspectos políticos, económicos, sociais e culturais da população saharaui. Vamos aumentar os montantes de ajuda humanitária para os campos saharauis; Desta forma, o Sahara Ocidental voltará a ser uma área prioritária para a cooperação espanhola. Apoiaremos programas de apoio à formação e mobilidade do povo saharauí e cumpriremos o que já foi aprovado pelo Parlamento: o acesso à nacionalidade espanhola dos residentes saharaui no nosso país com os mesmos direitos que os de outros países com os quais mantemos relações históricas".








PP – O Sahara Ocidental não merece qualquer referência nas 500 propostas do programa "O Nosso contrato com os espanhóis", conflito que sempre esteve presente em programas eleitorais anteriores do Partido Popular.




Ciudadanos – Nenhuma alusão ao Sahara Ocidental nos 175 pontos do programa eleitoral “Nosso compromisso com os espanhóis” da formação laranja.




VOX - Nas 100 medidas urgentes do VOX para Espanha “atendendo aos problemas que mais preocupam os espanhóis”, como em outros documentos da formação de Santiago Abascal, não há qualquer alusão ao Sahara Ocidental.








LOS VERDES - "Sobre a situação no Sahara Ocidental, aplicar o plano da ONU de 1991, que inclui um referendo livre e transparente sobre a autodeterminação. Além disso, condenar as contínuas violações dos direitos humanos (tortura, desaparecimentos, prisões, repressão etc.). "

FONTE: Contramutis



Sem comentários:

Publicar um comentário