quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Brahim Ghali pede à ONU que realize o Referendo e considera “redutor” o último relatório do SG António Guterres


O SG da Frente Polisario e Presidente da República Saharaui, Brahim Ghali, apelou à ONU para que cumpra a sua responsabilidade, compromisso e promessa feita ao povo saharaui para que este possa expressar livremente a sua escolha, através de um referendo de autodeterminação.


No discurso que proferiu nas comemorações do 45º Aniversário da Unidade Nacional no dia 12 de Outubro, Ghali pediu ao Conselho de Segurança da ONU que pusesse fim ao atual impasse no processo de paz e alertou que os obstáculos impostos por algumas partes, especialmente a França , encorajam o retorno gradual do conflito ao ponto inicial e não só pode trazer consequências fatais para a paz e estabilidade na região, mas também pode afetar o prestígio e credibilidade das Nações Unidas.

O dirigente saharaui Nesse sentido, afirmou que a Frente POLISARIO "não aceita que o cessar-fogo passe de uma parte do plano de paz UA-ONU a um objetivo em si mesmo", e advertiu que é inaceitável "que a MINURSO se torne um um mero instrumento para proteger a ocupação marroquina, para legislar as suas agressivas políticas expansionistas, as suas flagrantes violações dos direitos humanos e a sua pilhagem contínua dos recursos naturais saharauis ”.
O dirigente saharaui afirmou que a Frente Polisario não exige mais do que o cumprimento da legitimidade internacional e a implementação urgente do principal objectivo do plano de resolução, que é a organização do referendo sobre a autodeterminação, aprovado pelas partes em conflito, a Frente POLISARIO e o Reino de Marrocos, sob os auspícios da ONU.
Nesse sentido, afirmou que a Frente POLISARIO "não aceita que o cessar-fogo passe de uma parte do plano de paz UA-ONU a um objetivo em si mesmo", e advertiu que é inaceitável "que a MINURSO se torne num mero instrumento para proteger a ocupação marroquina, legislar as suas agressivas políticas expansionistas, prosseguir as suas flagrantes violações dos direitos humanos e a sua pilhagem contínua dos recursos naturais saharauis ”.

Relatório do SG da ONU é «redutor»
Referindo-se ao recente relatório do SG da ONU ao Conselho de Segurança, o líder saharaui Brahim Ghali afirmou que ele é "redutor" e não "reflecte medidas concretas" para completar a descolonização e o fim da sua ocupação.
Em carta recente dirigida ao SG da ONU e ao presidente do Conselho de Segurança, Ghali sublinha que não compartilha da avaliação feita pelo chefe da ONU sobre o Sahara Ocidental em que descreve no seu relatório como “ calma".

Para o Presidente da República Saharaui, a MINURSO tornou-se um “espectador passivo das acções anexacionistas de Marrocos”, que não cumpre o mandato para o qual foi criada, ou seja, a organização de um referendo de autodeterminação em o Sahara Ocidental.

Leia o Relatório do SG da ONU, António Guterres, AQUI
Fontes: Ecsaharaui, SPS

Sem comentários:

Publicar um comentário