quarta-feira, 3 de abril de 2013

Marrocos tenta salvar imagem de polícias torturadores retirando-os do Sahara


Sim, são duas mulheres saharauis arrastadas pelos
esbirros marroquinos à paisana na capital
do Sahara Ocidental ocupada
A administração marroquina na cidade saharaui ocupada de El Aaiun – segundo fontes na cidade revelaram esta quarta-feira – procedeu à evacuação de agentes torturadores das polícias secretas que estavam a prestar serviço na cidade desde que a cidade se sublevou contra o aparelho de ocupação marroquina em 2005, na sequência da Intifada Pacífica Saharaui.

A operação procura mascarar e ocultar os crimes que cometeram estes esbirros agentes do regime e afastá-los das cidades saharauis para o interior de Marrocos depois de queimarem a sua imagem e se tornarem pesadelos de terror para a população saharaui, a quem torturaram e perseguiram nos últimos anos.

O último ato humilhante e de estupro cometeram-no recentemente contra defensoras dos direitos humanos saharauis despindo-as e abandonando-as na periferia da cidade, depois de as terem torturado. É o caso da defensora pacifista Sultana Jaya, que aparece nesta foto tirada numa manifestação em 23 de Março de 2013, com metade do corpo desnudado, que foi arrastada e torturada por vários polícias da secreta marroquina e abandonada num descampado. Esta nova tática de intimidação contra as mulheres saharauis foi cometida pelos capangas do regime marroquino durante a visita do enviado pessoal do Secretário-Geral da ONU para o Sahara Ocidental, Christopher Ross, em março passado, na cidade de El Aaiun.

Fonte: Rede Informação Radio Maizirat

Sem comentários:

Publicar um comentário