sexta-feira, 14 de junho de 2013

MINURSO prepara-se para despedir metade dos seus empregados marroquinos


Várias fontes informativas da cidade ocupada de El Aaiún, asseguram que a gestão da missão da ONU no Sahara, a MINURSO, estaria a destituir dos seus postos, cerca de metade do pessoal marroquino. A fonte também acrescenta que alguns dos efetivos despedidos, estavam há mais de 15 anos ao serviço da MINURSO.

A mesma fonte informa que Wolfgang Weisbrod-Weber, Representante Especial e Chefe da Missão das Nações Unidas para o Referendo do Sahara Ocidental (MINURSO), já teria anunciado esta expulsão aos trabalhadores de nacionalidade marroquina, que desenvolviam atividades nas cidades do Sahara Ocupado.

Wolfgang Weisbrod-Weber com o SG da ONU, Ban Ki-moon

Recorde-se que, em julho de 2012, o mesmo aconteceu a vários efetivos marroquinos “tendo por base relatórios internos que asseguram que algumas pessoas efetuam trabalhos de espionagem sobre todos os movimentos dos membros da MINURSO e que o fazem há mais de duas décadas”. Esta situação já fora denunciada anteriormente pelo próprio Christopher Ross que imputou às autoridades marroquinas a “escuta de comunicações” entre a sede da Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental em El Aaiún e a sede da ONU, em Nova Iorque.

Fontes: FuturoSahara.net + WSHRW

Sem comentários:

Publicar um comentário