segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Presos políticos saharauis saharauis em protesto


Os presos políticos saharauis Mohamed Bourial e Sidi Abdallah Abbahah, ambos pertencentes ao grupo de presos Gdeim Izik, iniciam amanhã um jejum de protesto de 48 horas contra as represálias de que são vítimas. O assédio e os maus tratos crescentes a que estão sujeitos esses reclusos pelas autoridades marroquinas, constituem uma clara represália por terem apresentado comunicações ao Comité contra a Tortura das Nações Unidas.

Mohamed Bourial e o Sidi Abdallah Abbahah, que estão em confinamento solitário prolongado desde 2017, apesar das medidas de proteção provisórias concedidas pelo Comité das Nações Unidas contra a Tortura (CAT), foram submetidos a maus tratos e pressões psicológicas acrescidas nas últimas semanas.

A situação de saúde de ambos os reclusos é muito preocupante, Abbahah não recebeu cuidados médicos durante o seu encarceramento e Bourial encontra-se em situação de sofrimento físico e psicológico, gravíssimo, chegando mesmo a pedir à sua família para transmitir à sua advogado, Maître OULED Olfa, que “está a perder progressivamente o juízo “.

Marrocos mais uma vez não respeita os seus compromissos internacionais. O Reino assina e ratifica tratados e convenções com o único objetivo de mudar a sua imagem internacional para obter milhões em incentivos e ajuda económica , mas sem mudar a realidade no terreno e continuando a realizar ações medievais, violentas e repressivas contra todos aqueles que defendem os direitos humanos.

Fonte: Por un Sahara Libre

 

Sem comentários:

Publicar um comentário