segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

“A próxima guerra da África do Norte” – artigo do New York Times



«O processo de paz no Sahara Ocidental está hoje à beira do colapso, fragilizado pelos obstáculos  erigidos por Marrocos  quanto à realização de um referendo de autodeterminação do povo saharaui »,  escreve o diário norte-americano New York Times.
 “O cessar-fogo de 1991 havia prometido ao povo do Sahara Ocidental um referendo de autodeterminação, que mais de 25 anos depois, não teve lugar”, constata a autora do artigo entitulado “A próxima guerra da África do Norte”, publicado na passada segunda-feira. “Os refugiados nascidos e crescidos no exílio tocam os tambores da guerra”, escreve a jornalista que se deslocaou recentemente a El Garegaret e a Tindouf onde se avistou com o presidente saharaui, Brahim Ghali. “Desde há mais de duas décadas, Marrocos trava (a realização) de um referendo que constitui o principal mandato da MINURSO”, lembra a jornalista Hannah Armstrong que recorda que “o ritmo da mudança se acelerou em março passado”, após a expulsão por Marrocos da componente civil da missão da ONU, em reação às declarações do ex-secretário-geral das Nações unidas, Ban Ki Moon, o qual qualificou a presença marroquina no Sahara Ocidental de “ocupação”.
Marrocos manteve a sua vontade de minar o acordo de paz no Sahara Ocidental, violando o cessar-fogo ao enviar forças para impor a construção de uma controversa estrada que cruza os territórios sob controlo da Frente Polisario, recorda o diário norte-americano. Na realidade, este projeto de estrada pretendia reforçar o controlo por Marrocos do comércio na região, facilitando o deslocamento, diário, de centenas de camiões de mercadoria em direção ao Sul.
Fonte: EL MOUJAHID (Argelia) 19-01-2017


Sem comentários:

Publicar um comentário