quinta-feira, 26 de junho de 2014

Autodeterminação do povo saharaui: o Parlamento do Conselho da Europa adota um relatório que encosta Marrocos à parede



A Assembleia parlamentar do Conselho da Europa (Parlamento) adotou um relatório sobre o conflito do Sahara Ocidental em que se reafirma o direito do povo saharaui à autodeterminação e insta Marrocos a respeitar os direitos humanos no território, soube-se hoje de fonte diplomática saharaui em Estrasburgo.

A adoção do relatório, intitulado "Contribuição parlamentar para a resolução do conflito do Sahara Ocidental", foi saudada pelo ministro saharaui e representante da Frente Polisario para a Europa, Mohamed Sidati, que liderava a delegação da Frente Polisario à Assembleia Parlamentar (23 a 27 junho).

"Saudamos a relatora do dossiê, a senhora Liliane Maury Pasquier, pela tenacidade com que levou a cabo o seu trabalho, e pelo equilíbrio que mostrou em relação às duas partes em conflito, a Frente Polisário e o Reino de Marrocos ", disse em comunicado Sidati.

A delegação marroquina presente na sessão "tentou, sem sucesso, adoçar os termos do relatório da Assembleia parlamentar", disse o diplomata saharaui.

O relatório aponta que o conflito do Sara Ocidental é "favorável ao exercício pelo povo saharaui do seu direito inalienável à autodeterminação", disse o diplomata saharaui, observando, a este respeito, que "o argumento especialmente utilizado pela parte marroquina, que é justamente remover o direito à autodeterminação, foi recusada em toda a linha. "

O relatório refere, além disso, "os obstáculos que se colocam à implementação de um referendo livre e democrático", expressando "um forte apoio (da Assembleia Parlamento do CS) aos esforços das Nações Unidas, incluindo ó Secretário-Geral e o seu representante pessoal”, explicou.


 (SPS)



Sem comentários:

Publicar um comentário