domingo, 11 de março de 2018

Exdirector do ACNUR critica o fórum de Crans Montana e humilha Marrocos


Fonte: E. I. C. Poemario por un Sahara Libre / Original em francês: AP



Novo desaire diplomático para o Marrocos. O ex-diretor do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Werner Blatter, critica em extenso artigo publicado na quinta-feira, 8 de março de 2018, na coluna do jornal suíço Le Temps, a escolha da cidade ocupada de Dakhla no Sahara Ocidental para a realização do Fórum Crans Montana no próximo dia 15 de março para uma reunião sobre a cooperação Sul-Sul, evento boicotado pela União Africana.

Werner Blatter defende que "organizar um fórum Sul-Sul numa cidade do Sahara Ocidental em disputa e boicotado pela União Africana é um erro do Fórum Crans Montana". Blatter lembra, a este respeito, que "o Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA), após a 30ª Cimeira realizada em Addis Abeba em janeiro de 2018, convocou todos os seus Estados membros, a sociedade civil africana e outras partes a boicotar a próxima edição do Fórum Crans Montana em Dakhla, nos territórios saharauis ocupados ".

Para Warner Blatter, não há dúvida: "(...) (Dakhla), Dajla, não está em Marrocos, mas no Sahara Ocidental, isto é, na área ocupada por Marrocos". "É mais do que lamentável que uma reunião internacional desta magnitude e com uma questão tão importante esteja implicada em desconsiderar o apelo ao boicote da União Africana", disse o ex-diretor do ACNUR, que acredita que "Marrocos tem cidades, todas com uma excelente infra-estrutura para organizar uma conferência internacional ".

Werner Blatter afirma também que levar a Crans Montana todos os anos para Dakhla é uma cumplicidade com a colonização do Sahara Ocidental por Marrocos. Uma colonização condenada por toda a comunidade internacional.

Para obter "o respaldo e o apoio da União Africana e assim garantir um alto nível de participação dos países africanos e europeus", Werner Blatter apela ao Fórum Crans Montana para "rever a sua decisão e, no futuro, organizar o fórum sobre cooperação Sul-Sul numa cidade marroquina ou, se não fosse possível, organizá-lo noutro país ".

Leia o artigo publicado no jornal suíço “Le Temps”




Sem comentários:

Publicar um comentário