quarta-feira, 1 de maio de 2019

ONU prorroga por seis meses a sua missão no Sahara Ocidental





Agência EFE - A ONU prorrogou esta terça-feira por mais seis meses a missão no Sahara Ocidental (MINURSO), mantendo a pressão sobre Marrocos e a Frente Polisario para que prossigam com as negociações que iniciaram no passado mês de dezembro.

A resolução, aprovada pelo Conselho de Segurança, dá continuidade à estratégia mantida desde o ano passado pelas potências internacionais, que optaram por encurtar os mandatos da Minurso para pressionar as partes e desbloquear uma conversações que estavam paralisadas há anos.

Desta vez a resolução proposta pelos EUA foi aprovada com 13 votos a favor e duas abstenções, da Rússia e da África do Sul.

O texto apoia o processo de negociações promovido pelo enviado da ONU, o ex-presidente alemão Horst Köhler, e a colaboração das partes, reiterando a "necessidade de alcançar uma solução política realista, viável e durável" para o conflito no Sahara Ocidental.

O Conselho de Segurança apela a Marrocos e à Frente Polisário para que continuem as negociações "sem condições e de boa fé" e sublinha a importância deste "compromisso renovado" para fazer avançar o processo político.

Sob a mediação de Köhler e acompanhados pela Argélia e Mauritânia, as partes reuniram-se duas vezes nos últimos meses, em dezembro e março, e comprometeram-se a fazê-lo novamente em breve, embora não se tenham produzido progressos nas conversações.

Por enquanto, Rabat continua a rejeitar a possibilidade de um referendo para que os saharauis possam exercer o seu direito à autodeterminação, enquanto o Polisario insiste nessa via.

A ONU criou a Minurso (Missão das Nações Unidas para o Referendo no Sahara Ocidental) a fim de facilitar uma consulta sobre o futuro da ex-colónia espanhola, que até agora ainda não teve lugar.

Em 2007 Marrocos apresentou uma proposta de autonomia para a região e considera que esta deve ser a base da negociação, enquanto a Frente Polisario insiste na necessidade de convocar esse referendo o mais rapidamente possível.

Sem comentários:

Publicar um comentário