terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Juiz Pablo Ruz interroga cinco testemunhas da repressão marroquina no Sahara




O juiz da Audiência Nacional Pablo Ruz houve hoje cinco testemunhos, entre os quais de três saharauis, no âmbito da ação em que se investiga a repressão exercida no Sahara Ocidental pelas autoridades marroquinas após a tomada de controlo da região em finais de 1975.

O magistrado houve o testemunho de três saharauis – de nacionalidade argelina - que presenciaram as detenções ilegais que as forças marroquinas realizaram entre 12 e 13 de fevereiro de 1976, muitas das quais conduziram a desaparecimentos. Ruz ouve hoje quarta-feira o perito Carlos Martín Beristaín e o psicólogo Francisco Excheberria Gabilondo, ambos espanhóis, que descobriram em junho de 2013 uma fossa comum com oito cadáveres alegadamente executados com arma de fogo em fevereiro de 1976.
 
Fossa comum com oito cadáveres de civis saharauis descoberta em junho de 2013


As testemunhas comparecem ante o instrutor da Audiência Nacional a partir das 10.00. O magistrado decidiu citar estas cinco testemunhas na sequência da ampliação da queixa interposta pela Asociación Pro Derechos Humanos de España (Apdhe) e outros queixosos. A ação encontra-se aberta desde 2007.


Jornal ABC – 11-02-2014

Sem comentários:

Publicar um comentário