quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Sahara Ocidental: a decisão do Tribunal Europeu de Justiça é “uma advertência ao rei de Marrocos” - Washington Times



A sentença do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE), que proíbe a inclusão do território saharaui nas relações comerciais entre a UE e Marrocos é “uma advertência ao rei de Marrocos” que perdeu a batalha da opinião internacional, afirma o Washington Times.

Num editorial intitulado “os tribunais lançam uma advertência ao rei de Marrocos”, o quotidiano norte-americano assinala que o rei Mohamed VI “está decidido a manter os EUA fora do conflito e gasta milhões de dólares todos os anos em lobbying para chegar aos seus fins“.

Mas “o ano passado, Marrocos chegou à conclusão de que estava perdendo a guerra da opinião pública” quando o Tribunal de Justiça anulou o acordo agrícola que tem com a União Europeia “, constata o Washington Times.

Destacando os reveses sucessivos da diplomacia marroquina, o periódico refere que Marrocos se tem negado a reconhecer a independência do Sahara Ocidental apesar de várias campanhas ganhas pelos saharauis na ONU e batalhas legais ganhas pela Frente Polisario nos tribunais Internacionais.

O diário norte-americano aborda no seu editorial a luta pacífica do povo saharaui para recuperar a sua soberania recordando, nesse sentido, o plano de resolução do conflito apresentado pelo ex-secretário de Estado americano James Baker, que foi sabotado por Marrocos.

"James Baker conseguiu encontrar um acordo que considerado bom porque foi rejeitado por ambas as partes. (o acordo) estabelecia um referendo para permitir que os saharauis que vivem (nesta área) pudessem decidir de uma vez por todas "o seu futuro, acrescenta.

“o acordo fracassou por pressão do rei e, ato contínuo, os EUA examinaram minuciosamente as razões desse fracasso e os detalhes da conduta marroquina sobre o terreno”, escreve o Washington Times.

“O povo (saharaui) luta pela autodeterminação e o estatuto do país há 46 anos, desde que Marrocos impôs a sua (própria) lei sobre o território”, acrescenta o jornal, precisando que o conflito entre a Frente Polisario e Marrocos é uma continuação da luta dos saharauis contra as forças coloniais espanholas há quase meio século.

Sob a direção do falecido presidente Mohamed Abdelaziz, a luta converteu-se numa batalha jurídica com recurso ao Tribunal Internacional de Justiça, às Nações Unidas e à consciência do mundo para convencer os marroquinos a que devolvam o seu país “, adianta o Washington Times.


Fonte: Diaspora Saharaui

Sem comentários:

Publicar um comentário