quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Eurodeputados Willy Meyer e Antonio Masip denunciam Julgamento e condenação dos 25 presos saharauis de Gdeim Izik






O Eurodeputado Willy Meyer (GUE / NGL), vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores do Parlamento Europeu e vice-presidente do Intergrupo do PE Solidariedade com o Povo Saharaui), e o eurodeputado Antonio Masip (S & D), advogado, foram observadores durante o julgamento dos 25 Saharauis defensores dos Direitos Humanos julgados e condenados a duras penas pelo Tribunal Militar de Rabat. Aqui dão o seu testemunho.

Os eurodeputados são acompanhados durante Conferência de Imprensa pelo eurodeputado
Norbert Neuser (S & D), ACP-UE e presidente do Intergrupo do PE Solidariedade com o Povo Saharaui).
                               
Durante 27 meses, um grupo de 23 presos políticos saharauis foi encarcerado na prisão de Salé Rabat (Marrocos), apenas por terem participado no acampamento de Gdeim Izik. Este acampamento de protesto, o primeiro nos países árabes, reuniu mais de 20 mil saharauis em El Aaiún (territórios ocupados do Sahara Ocidental). Foi violentamente desmontado pelo exército marroquino, o que levou à condenação generalizada da comunidade internacional, incluindo o Parlamento Europeu.
A 17 de Fevereiro de 2013, um tribunal militar marroquino condenou os 25 presos políticos saharauis a prisão perpétua ou a penas de prisão de 2 anos a 20 anos, 25 e 30.



Sem comentários:

Publicar um comentário