quinta-feira, 2 de maio de 2013

O Secretário de Estado John Kerry, afinal, não recebeu nenhuma delegação marroquina…



Com o objetivo de esconder o isolamento mortal de Marrocos devido às violações dos direitos humanos no Sahara Ocidental, a agência marroquina MAP inventou uma receção de uma delegação marroquina de Washington com o Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, quando, há poucos dias, durante o debate sobre o proposta dos EUA sobre o alargamento das prerrogativas da MINURSO para monitorar a observância dos direitos humanos no Sahara Ocidental, este recusara o pedido de entrevista com o ministro dos Negócios Estrangeiros marroquino, Saad Eddine El Othmani, sob o pretexto de agenda lotada.

Nem o Departamento de Estado nem a imprensa americana disse uma palavra sobre esta receção saída da imaginação dos funcionários da MAP, sedentos de apresentar ao público marroquino uma realidade distorcida do estado das relações com os Estados Unidos.

Desde a eleição de Barack Obama, Marrocos tenta dissimular a mudança da política dos EUA na região aproveitando o relacionamento pessoal com a ex-secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, dando a entender que os EUA apoiam o projeto de autonomia marroquina. No entanto, quando Rabat decidiu rejeitar o enviado pessoal do Secretário-Geral para o Sahara Ocidental, Christopher Ross ONU, a própria Hillary Clinton recusou-se a receber El Othmani que viajou até Washington para pedir expressamente a sua ajuda.


O mesmo cenário repete-se hoje com a eleição de François Hollande. A França apoia plenamente os esforços da ONU para pôr fim a um conflito que já dura há muito tempo e Paris não tem a intenção de entravar a busca de uma "solução mutuamente aceitável com base nas resoluções Conselho de Segurança". Por outras palavras, baseada no direito à autodeterminação dos saharauis.

A reprimenda pronunciada pelo Palácio do Eliseu sobre o compromisso da França com a necessidade de serem respeitados os direitos humanos no Sahara Ocidental é um forte sinal de mudança na posição francesa.

Sem comentários:

Publicar um comentário