sexta-feira, 29 de março de 2013

Após anos de sofrimento Marrocos confisca-lhe as suas terras

Oum Lmomnin Boulsan
As autoridades de ocupação marroquinas detiveram sexta-feira de manhã a cidadã saharaui Oum Lmomnin Boulsan na casa de seus pais em Tidraret, arredores de Tah (fronteira entre Marrocos e o Sahara Ocidental), e levaram-na à força para as instalações da empresa "Semens Somagik" onde a interrogaram durante seis horas antes de a libertar, ordenando-lhe que deverá comparecer perante o procurador do rei junto do tribunal de primeira instância em El Aaiun ocupada.

A senhora Oum Lmomnin, de 68 anos, mãe de 5 filhos tinha-se deslocado à casa de seus pais em Tidraret a fim de pôr cobro a uma tentativa da referida empresa de confiscar terrenos da sua família. Foi detida pelos chefes da gendarmeria e das forças auxiliares e do “Qaid” (chefe administrativo) e elementos da polícia. Estas autoridades fizeram-na entrar pela força numa “van” em direção à sede de empresa em Tah para a interrogarem.

A senhora Oum Lmoumnin é filha de dois mártires saharauis, sua mãe, Batoul ment Sidi, morta sob tortura no centro de detenção secreto de Agdaz no ano de 1977; e Salek Abdesamad, seu pai, assassinado no centro de detenção secreto de Kal'at Mgouna, em 1985; e irmã mais velha de duas saharauis que passaram 16 anos desaparecidas em centros de detenção secretos.

Os sobreviventes não estão em melhor situação, sofrem de despejo forçado e privados de educação obrigatória desde o início da ocupação marroquina do Sahara Ocidental. Esta família ativista sofre ainda hoje abusos e a perseguição.
Recordamos que a senhora Oum Lmomnin Boulsan é irmã da Mohamed Salem Ould Salek ministro dos Negócios Estrangeiros do Governo Saharaui.

Fonte: EquipeMedia

Sem comentários:

Publicar um comentário