quarta-feira, 27 de março de 2013

" Encontrar soluções para a questão do Sahara Ocidental em conformidade com as decisões do Conselho de Segurança " – afirma Christopher Ross



O Enviado Pessoal do SG da ONU para o Sahara Ocidental, Christopher Ross, afirmou terça-feira à noite, no final da visita aos campos de refugiados saharauis, que esta se inscreve "no quadro do seu novo périplo, que visa a procura de soluções para a questão do Sahara Ocidental em conformidade com as decisões do Conselho de Segurança ".

"A situação grave na região do Sahel apela, mais do que nunca, a uma solução urgente", afirmou Ross antes de precisar ter "tido reuniões com a direção da Frente Polisario e o seu secretário-geral, Mohamed Abdelaziz, e representantes da sociedade civil para conseguir os meios apropriados de impulsionar o processo de negociações".

"Os resultados da minha viagem que me levará a Nouakchott e depois à Argélia serão apresentados ao Conselho de Segurança no dia 22 de abril", sublinhou.

Por seu lado, o encarregado da comissão nacional saharaui para o referendo, M’hamed Kheddad, disse que a reunião entre o Presidente saharaui Mohamed Abdelaziz e o enviado da ONU focara-se nas ações que este contava empreender no quadro da sua abordagem de descolonização do Sahara Ocidental, na base do direito do povo saharaui à autodeterminação.

Os principais países do Conselho de Segurança estão convencidos da necessidade de encontrar uma resolução rápida para a questão do Sahara Ocidental", referiu citando o enviado pessoal do SG da ONU que submeterá o seu relatório ao Conselho de Segurança.

Acrescentou que Ross "está pensando em adotar um novo método de negociação através de reuniões e consultas com as partes interessadas na base de deslocações, incluindo ao Saara Ocidental na expectativa de uma nova ronda de negociações."

"O secretário-geral da Frente Polisario reiterou a Christopher Ross, a vontade da Frente em prosseguir a sua colaboração com as Nações Unidas, qualificando a inércia atual de inadmissível. Cada dia que passa descredibiliza o Conselho de Segurança e as Nações Unidas", afirmou ainda.

"É inconcebível que as Nações Unidas permaneçam silenciosas face ao que se passa no Sahara Ocidental, como sejam as violações flagrantes dos direitos humanos e o processo iníquo sancionado com pesadas penas contra os militantes saharauis do acampamento de Gdeim Izik", afirmou M. Kheddad.

O mesmo responsável indicou também que o Presidente saharaui apelou às Nações Unidas a assumirem plenamente as suas responsabilidades a este propósito encontrando mecanismos de vigilância dos Direitos do Homem.

Fonte: agência APS

Sem comentários:

Publicar um comentário