sábado, 16 de março de 2013

Deputados italianos solicitam à UE uma ação urgente para fazer frente à situação dos DDHH no Sahara Ocupado

Giulio Terzi, ministro dos NE de Itália


Uma delegação parlamentar italiana e grupos de amizade com o povo saharaui pediram ao MNE de Itália, Giulio Terzi, a “necessidade” de uma ação urgente da União Europeia (UE) para fazer face à situação dos direitos humanos no Sahara Ocidental.

A coordenadora do grupo parlamentar, a deputada Carmen Motta, que fez uma apresentação sobre a situação dos direitos humanos no Sahara no Ministério de Negócios Estrangeiros italiano, explicou que “frente à trágica situação dos direitos humanos no Sahara Ocidental, a intervenção da UE torna-se muito necessária”.

Durante a reunião, a delegação expressou a “preocupação” pela “deterioração da situação dos direitos humanos no Sahara Ocidental ocupado por Marrocos, em particular na sequência do julgamento dos 24 saharauis condenados pelo tribunal militar de Rabat após os acontecimentos do acampamento de Gdeim Izik”.

Recordando ao ministro a “dureza” das sentenças do tribunal militar marroquino contra o Grupo Gdeim Izik, Carmen Motta, sublinhou “a necessidade da Itália tomar a iniciativa a nível europeu para ampliar o mandato da MINURSO à monitorização dos direitos humanos” durante a próxima reunião do Conselho de Segurança em abril.

Também o Presidente do grupo chamou a atenção do Governo italiano a tomar uma posição para que não sejam incluídas as águas do Sahara Ocidental no acordo de pesca entre Marrocos e a União Europeia.

Fonte: Colectivo Saharaui 1975

Sem comentários:

Publicar um comentário