terça-feira, 16 de abril de 2013

Sahara/EUA: a reação do Palácio

Fouad Ali El Himma, o íntimo conselheiro de Mohamed VI,
 convocou e dirigiu a reunião de desagravo ...


Notícia publicada hoje no jornal online independente marroquino Lakome, “O gabinete real convocou ontem os chefes dos principais partidos políticos. O comunicado final não menciona os EUA mas fala de «incompreensão e rejeição».

No seguimento da decisão dos EUA de pedirem a extensão do mandato da MINURSO à vigilância dos direitos humanos no Sahara e em Tindouf, o palácio reagiu ontem convocando para Fez os chefes dos principais partidos políticos – adianta a notícia.

Diz ainda Lakome: Estes foram informados «dos últimos desenvolvimentos da Questão Nacional no seio das Nações Unidas, e mais particularmente sobre certas iniciativas tendentes a desvirtuar o mandato da MINURSO», segundo refere o comunicado do gabinete real tornado público no final do encontro. Não foi o próprio rei Mohamed VI que geriu a reunião mas sim o seu conselheiro Fouad Ali El Himma.

«A reunião foi a ocasião de reiterar o consenso nacional em redor da posição constante do Reino de Marrocos para rejeitar categoricamente estas iniciativas», segundo refere o comunicado. «[...] a parcialidade deste tipo de iniciativa unilateral e sem consulta prévia, em termos de conteúdo, de contexto e de aplicação apenas podem suscitar incompreensão e rejeição.», afirma o texto.

Aquele periódico conclui que “Os EUA não são mencionados no comunicado, que parece ser destinado essencialmente a uso interno”.

Por sua  vez, o site informativo marroquino “Demainonline”, dirigido pelo conhecido jornalista Ali Lmrabet, interrogava-se : « Resta saber como é que vai reagir a França no Conselho de Segurança cujos laços com a Argélia foram substancialmente reforçados nos últimos tempos. Se Paris respeitar o princípio da neutralidade no conflito, uma ideia cara ao presidente François Hollande que gostaria de tratar Marroquinos e Argelinos no mesmo pé de igualdade, estaremos então frente a uma verdadeira viragem”.

Sem comentários:

Publicar um comentário